Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vô-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.

João 14:2,3

Em uma das minhas meditações, me perguntei o porquê de estarmos ferrenhos nesta luta para nos manter firmes diante da Palavra de Deus? Por que nós estamos nesta batalha na contra mão do mundo, andando diferente da maneira que o mundo quer pintar a forma que devemos viver ou agir?

Quantas vezes somos humilhados? Servimos até mesmos de chacota para alguns que acham que devemos aceitar viver uma vida devassa, em que muitas vezes o temor do Senhor passa longe, e que tudo é normal; não existe pecado, imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes¹; para a humanidade perdida tais coisas são normais, “não tem nada a ver”; vivem num “pode tudo, posso todas as coisas”, num “tudo me é lícito, tudo me convém”.

Vivemos sim, na contra mão destas coisas, fugimos da aparência do mal; lutamos contra tais coisas que o mundo nos oferece.

A pergunta a fazer é, por quê? Porque lutamos tanto para nos manter firmes na presença de Deus, obedientes a Sagrada Escritura? Será mesmo que vale tanto a pena?

Muitos não entendem as motivações que nos leva a agir de tal maneira. Como citado nos versículos chave deste artigo, a nossa motivação e o céu, a casa do Pai, a salvação. A nossa motivação é Cristo.

Cristo ao se entregar na cruz do Calvário para remissão de nossos pecados, verdadeiramente Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados². Não tem como agir diferente quando ouvimos o Seu chamado, quando somos resgatados por Ele.

Quando descobrimos a magnitude do seu sacrifício, não tem como não estar motivado; Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca³.

 Ele nos resgatou e nos trouxe de volta ao aprisco.

Estes devem ser os argumentos da nossa motivação; não se preocupe em andar na contra mão do mundo, de não satisfazer as vontades daqueles que não tem o temor do Senhor em sua vida, dos “joios”, dos “lodos”, dos que tentam fazer da nossa historia, a mesma que pinta o mundo que vivemos. Você é um morador do céu, um escolhido, um eleito de Deus. Fique em paz.

E que a graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o grande amor de Deus e as ricas consolações do Espirito Santo sejam com todos, amém!

Roberto Viana

 Referências: 

  • ¹ Gálatas 5:19-21
  • ² Isaías 53:4,5
  • ³ Isaías 53:6,7

Evangelize compartilhando

Curta Nossa Página

#avivamentoemreforma

https://avivamentoemreforma.wordpress.com

Anúncios